COMPORTAMENTO ECOLÓGICO DE Protium icicariba (DC.) MARCHAND EM DISTINTAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS NA RESTINGA DO PARQUE ESTADUAL PAULO CÉSAR VINHA, GUARAPARI, ESPÍRITO SANTO, BRASIL

Nome: ANA CAROLINA SILVA DAL-CÓL
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 23/02/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Luis Fernando Tavares de Menezes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Antelmo Ralph Falqueto Examinador Interno
Geraldo Rogerio Faustini Cuzzuol Suplente Interno
Glória Mattalana Tobón Suplente Externo
Luciana Dias Thomaz Coorientador
Luis Fernando Tavares de Menezes Orientador
Marcelo da Costa Souza Examinador Externo

Resumo: Estudos sobre estrutura populacional e distribuição espacial de uma espécie revelam informações sobre a regeneração da população e a situação da espécie em sua área de ocorrência. Gradientes ambientais determinam a distribuição das espécies, interferindo na fisionomia e estrutura vegetacional. Como exemplo, a saturação do solo pode restringir o número e abundância de espécies que se estabelecem, além de interferir em processos bióticos. Espécies que dominam áreas inundáveis podem não ocorrer ou serem raras em ambientes secos. Porém, há espécies que habitam os dois tipos de ambientes, como Protium icicariba (DC.) Marchand, que ocorre tanto em floresta inundável quanto não inundável no sudeste brasileiro. A forma como ocorre a regeneração em uma floresta está relacionada a mecanismos que permitem o ingresso e o estabelecimento dos indivíduos, como a chuva e o banco de sementes, e o banco de plântulas. O entendimento da regeneração e reprodução também tem contribuição valiosa dos estudos fenológicos, que relacionam as atividades do ciclo de vida das plantas com a sua ocorrência temporal ao longo do ano. Buscou-se analisar a estrutura populacional, o padrão de distribuição espacial e o comportamento fenológico de uma população de P. icicariba em uma floresta inundável na restinga do Parque Estadual Paulo César Vinha, Guarapari, Espírito Santo. Verificou-se o padrão de distribuição espacial da população e a distribuição dos indivíduos adultos em classes de altura e diâmetro. Também foi realizada uma análise da distribuição de plântulas na área. Foi acompanhado o comportamento fenológico de P. icicariba em área inundável e não inundável para fins de comparação. A população apresentou baixa frequência e densidade na floresta inundável da restinga e não foi observado o padrão “J” invertido para as classes de altura e diâmetro. O levantamento das plântulas mostrou que os processos de germinação e estabelecimento estão ocorrendo, podendo-se inferir que a ausência de indivíduos adultos na primeira classe de altura possa ter ocorrido devido ao critério de inclusão de indivíduos na amostragem. Os valores de dominância e área basal indicaram pouca cobertura do solo para esta espécie. O padrão de distribuição foi agregado, indicando um modelo característico de plantas zoocóricas. Com relação à fenologia, a ausência de floração e frutificação na restinga florestal inundável pode ter ocorrido devido a um ajuste fenológico devido à uma condição ambiental desfavorável. A floração e frutificação dos indivíduos da restinga arbustiva aberta não inundável seguiu padrões já relatados na literatura, com floração e frutificação acontecendo nas épocas mais úmidas do ano. A correlação das fenofases se apresentou positiva e significativa somente para o comprimento do dia, sendo que já é esperado que quanto mais distante da linha do equador, maior a influência desta variável ambiental na fenologia.

Palavras chave: Distribuição espacial, fenologia, fitossociologia, plântulas, Protium icicariba, restinga.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910