Análise fitoquímica e avaliação das antioxidante, antimutagênica e citotóxica do estrato hidoalcoólico de Coriandrum sativum L.

Nome: PATRICIA CARARA DOS SANTOS
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/03/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maria do Carmo Pimentel Batitucci Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Claudia Masrouah Jamal Examinador Externo
Hildegardo Seibert França Coorientador
Maria do Carmo Pimentel Batitucci Orientador
Tarsila Daysy Ursula Hermogenes Gomes Suplente Externo
Valéria de Oliveira Fernandes Suplente Interno
Viviana Borges Corte Examinador Interno

Resumo: Coriandrum sativum L, conhecido como coentro, pertencente à família Apiaceae, trata-se de uma hortaliça originária do continente Europeu e Africano. Desta planta são aproveitáveis as flores, folhas e frutos. Além de seu papel na culinária, desempenha papel relevante na medicina popular sendo recomendada para tratamento de diversas doenças. É rica em compostos fenólicos, frequentemente relacionados a efeitos antioxidantes. Em geral, o substrato envolvido no processo de cultivo de plantas medicinais pode estar relacionado à produção de metabólitos secundários com princípios bioativos de interesse. Além da forma de cultivo, outro fator relevante na produção de metabólitos é o estádio de desenvolvimento na qual a planta se encontra. Devido à carência de trabalhos com esse enfoque envolvendo o coentro, o presente estudo teve o objetivo de avaliar a influência da adubação e de dois estádios de desenvolvimento vegetal (vegetativo e floração), na produção de metabólitos secundários de Coriandrum sativum, bem como relacionar essas condições com o potencial quimioprotetor, antimutagênico e antioxidante do extrato hidroalcóolico de suas folhas. As plantas foram cultivadas na região de Venda Nova do Imigrante/ES - Brasil, mantidas, em campo, sob os regimes de adubação orgânica (esterco bovino) e adubação química com nitrogênio, fosfato e potássio (NPK), envolvendo dois estádios de desenvolvimento (vegetativo e a floração). As partes aéreas foram secas e submetidas à maceração em etanol 70% para a obtenção do extrato bruto o qual passou por uma caracterização fitoquímica por métodos fitoquímicos preliminares e espectrometria de massas. Foi detectada a presença de metabólitos como cumarinas, esteroides e flavonoides, em todos os extratos e a espectrometria de massas apontou picos moleculares similares entre os extratos avaliados. O extrato bruto de C. sativum no estádio vegetativo e adubação química apresentou melhor atividade antioxidante, segundo o teste DPPH, em comparação aos demais grupos de tratamento e o extrato obtido a partir de plantas no estádio vegetativo apresentou maior redução na frequência de micronúcleos, em relação ao controle positivo, tanto no ensaio de pré-tratamento quanto no simultâneo.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910